sábado, 27 de junho de 2020

Afinal parece que isto ainda nem começou CORONA - HOPE AMIDST DESPAIR - Abhigya



Ola

Afinal isto parece que ainda nem começou.

O que não espanta os mais atentos, e sobretudo quem tem vindo a fazer um caminho de desenvolvimento espiritual.

Não é preciso ser sábio para perceber que a humanidade não muda em dois meses. Nem em dois anos.
Provavelmente e com muita dificuldade, mudará em 20.
Todos temos um caminho a percorrer e cada um faz o que pode.
Uns mais depressa outros menos. Uns mais eficazes e outros menos. Não faz de nós melhores seres humanos.
Faz-nos seres humanos em caminhos diferentes.



O confinamento ensinou a muito poucos a importância de SER em vez de TER.
Contudo, até aqueles que se dedicam ao estudo da espiritualidade e do auto-conhecimento descobriram um filão e de repente há um surto de cursos em milagres de prosperidade e abundância.
Todos querem ensinar como ganhar mais dinheiro, como ser próspero, como amar o dinheiro, como se conectar com a abundância.

Na verdade, a verdadeira prosperidade é aquela que estamos a viver. Porque cada um à sua maneira não conseguiu mais porque noutra vida muito provavelmente teve uma  má relação com o dinheiro (prosperidade), ou com a abundância.
E tem de ser pobre nesta vida sempre?

Não! Mas tem de tomar consciência do que foi, do que é e do que pode ser. Caso contrário não valeu a pena a reencarnação e todo o esforço que fez para viver esta oportunidade e transmutar as más escolhas de outras vidas.



Prosperidade verdadeira é quando eu tenho mas os outros também caso contrário eu ficarei infeliz por haver carência ao meu redor.
E dizem: " Mas quando eu tiver muito, também poderei ajudar mais".
Já tens muito e não ajudas!

Nunca ninguém nos disse que era preciso ter muito para ajudar. É só partilhar o que se tem.
Alguém nos formatou para acharmos que só DEPOIS DE TER MUITO, é que posso ajudar os outros.

Mentira! E é nesta falácia que vivemos.
Mais, a abundância da nossa vida, está em por exemplo poder todos os dias percorrer um parque e olhar as árvores e as plantas. Não tem que estar em TER UM PARQUE.

A prosperidade pode estar em ter dinheiro suficiente para cada dia da sua vida - pão nosso de cada dia. E com isso ter tempo para si, para os seus, para desfrutar, contemplar.
Quem foi que disse que TER MUITO faz de nós mais felizes?
Ou melhores seres humanos?



Não aprendemos nada no confinamento. Não aprendemos que precisamos de muito pouco para viver.
Não aprendemos que o mundanismo pode ser necessário na sociedade em que vivemos, mas não é fundamental para sermos completos e plenos.
Estamos mais pobres?
Estamos!
Deixamos de ter abraços, beijos, convívios, confraternizações....
E não há prosperidade que nos valha se continuarmos a ser constantemente "penalizados" porque não aprendemos a ser humanos.

Vendem-nos quimeras e nós damos como garantido que esse é o nosso sonho.
Na verdade, se assim fosse quem mais tem seria extremamente feliz. E todos os dias ouvimos notícias de suicídios de pessoas, que parece terem tudo e afinal não tem nada.
Porque nada é divino, nada é um propósito sagrado. Tudo são TER e não SER.
Enquanto vivermos a querer TER em vez de SER muitas pandemias, acidentes, e vicissitudes vamos passar.
Quem cá ficar pode ser que um dia acorde e perceba que afinal nada valeu a pena.

Solstício de inverno - 21 Dezembro, parece que trás novidades. Há 800 anos que não havia uma conjugação astral e astronómica desta dimensão.

Aguardemos.
Parece que são muitos a dizer a mesma coisa.

Se lá chegarmos veremos a verdade.

Xi 💚

www.terapiasmulherholistica.com



Sem comentários:

Publicar um comentário